segunda-feira, 9 de maio de 2011

Campo de Batalha

Vem o tempo jogando as horas
e alimentando a minha morte
o mais temido passaporte
não é o meu preferido esporte
prefiro a faca que o corte
pois o meu inimigo é muito forte
percorre do hemisfério Sul ao Norte
no mais rápido transporte
e eu não costumo contar com a sorte

Vem a morte jogando o tempo
e alimentando a minha hora
o mais covarde sempre implora
para Deus e Nossa Senhora
mas, se nossa vez for agora
feliz do homem que chora
por um amor que foi embora
e para passa-tempo, um livro de outrora
para lê-lo até a chegada da aurora
(Isloanne Araujo)

2 comentários:

  1. quando é inefável, tenho que deixar um comentário!
    um carinho...
    um cheiro em, e cor para todos...
    V.L. de Clara.

    ResponderExcluir
  2. =) quem diria .. =*

    ResponderExcluir